Terça, 17 Setembro 2019 20:15

Sessão solene na ALE trata do suicídio

O secretário de Cultura Marksjohnson Castro Ferreira participou da mesa de debates representado o governador Antônio Denarium. 

 

Dois depoimentos chamaram atenção durante sessão especial voltada à valorização da vida e a prevenção do suicídio, realizada nesta terça-feira (17), na Assembleia Legislativa de Roraima. Enquanto a estudante Jhenne Morais contou sobre como superou a depressão, a técnica em enfermagem, Diane Ferreira relatou a dor dos familiares de quem tirou a própria vida. A solenidade reuniu autoridades e palestrantes que abordaram temas como os sinais de alertas e como as redes sociais podem ter relação com a saúde mental.

O secretário de Cultura, Marksjohnson Castro Ferreira, participou da mesa de debates representado o governador Antônio Denarium. Ele falou sobre a própria história de vida e exemplificou como o jovem pode buscar outras ferramentas para sair da depressão e seguir com a vida.

“Sou exemplo vivo de que tudo pode ser diferente quando lutamos, temos apoio de pessoas e não ouvimos frases do tipo: você não consegue. Vim de uma família humilde e graças a Deus tive oportunidades e venci. O mau do suicídio pode ser vencido também com a cultura, arte, cinema, teatro e esporte. Essas armas podem salvar a vida de muitos jovens. Roraima revela números assustadores de suicídios e é nossa obrigação contribuir para mitigar ou acabar com esses números terríveis”, disse.

O evento foi requerido pela deputada Ione Pedroso (SD), e realizado em parceria com os deputados Catarina Guerra (SD) e Evangelista Siqueira (PT), que também lutam pela causa na Casa Legislativa.

 

Membros da mesa e palestrantes receberam uma rosa amarela em nome da vida 

 

Sinais de Alerta

O psicólogo Wagner Costa palestrou sobre como identificar os sinais dados em casos de possíveis suicídios. Ele apontou que as pessoas tendem a transparecer a exaustão mental. Segundo ele, muitas pessoas buscam no suicídio a solução para o sofrimento. Por isso, é importante prevenir, oferecendo soluções e ajuda para a pessoa enfrentar o problema apresentado.  

 

Redes sociais

Na ocasião, o presidente da Comissão de Direito Médico da OAB/RR (Ordem dos Advogados do Brasil), Michel Nóbrega, trouxe informações sobre como as mídias sociais influenciam na saúde mental dos internautas. “Este também é um campo de enfrentamento, pois cria a falsa sensação de felicidade, e as pessoas veem aquilo como uma regra da realidade.”

Ao levantar a questão, ele pontuou que esse campo merece ser alvo de políticas de enfrentamento, como por exemplo, a difusão de informações positivas que se sobressaiam às negativas. O advogado frisou ainda a importância da denúncia em casos de postagens que, de alguma maneira, incentivem ou induzam ao suicídio.

 

Publicado em Notícias

 

 

 Presidente do CEC, Sebastião Moura; o secretário da Cultura, Maksjonhson Ferreira; e a secretária adjunta da Cultura, Dianiery Souza Coelho. 

 

 

Entre as demandas estão o edital de incentivo à cultura, destino do Museu integrado, captação de recursos e projetos para recuperação de espaços público.

 

Na sessão do Conselho Estadual de Cultura (CEC/RR), nesta quarta-feira (11/09), às 9h, no Palácio da Cultura, o secretário de cultura, Marksjohnson Ferreira, falou aos conselheiros sobre a nova gestão e os projetos futuros para a secretaria. Na pauta as modificações que pretende fazer para otimizar de imediato alguns setores da Secretaria Estadual de Cultura (Secult) que precisam ser vistos com urgência. Exemplo disso é o funcionamento do Museu Integrado de Roraima, os projetos culturais que estavam esquecidos, a reativação de espaços e a manutenção da cultura material e imaterial.

 

“Precisamos reaproximar a sociedade da secretaria. Depois de alguns levantamentos constatamos que até dinheiro importante à Cultura e aos projetos, cerca de R$ 1 milhão, foi devolvido na gestão anterior por falta de execução. Precisamos resgatar os projetos deixados no esquecimento e buscarmos outros que precisam de recursos para serem realizados e, para isso, vamos trabalhar junto com o CEC e o Grupo técnico que aprova os projetos”, disse o secretário.

 

A Secult tratou de mapear alguns dos principais festivais do Estado, inscreveu três projetos de cada área em captação de recursos federal, como por exemplo, Arraial do Anauá, Festival das Araras e o Festival Folclórico de Caracaraí dos últimos três anos subsequentes.

 

“A ideia é criar a agenda positiva da secretaria, como exemplo o calendário oficial. Trabalhamos por uma gestão otimizada e o que queremos é promover isso em tudo que fizermos, repetir a economia que buscamos no Arraial do Anauá onde conseguimos economizar cerca de 82% dos valores investidos com a ajuda da inciativa privada”, defendeu.

 

 Conselheira Elena Fioretti expondo a realidade da cultura de Roraima

 

A conselheira estadual de cultura, Elena Fioretti, pediu a palavra e fez o panorama da cultura no Estado. A conselheira apelou ao secretário de cultura. “Temos muitos problemas para resolver ainda. O museu precisa voltar para a cultura, o herbário precisa ser remanejado para um lugar que possa ter o devido tratamento. Tivemos notícias que recentemente o material da arqueologia que ficava no museu ia ser doado para outro Estado porque não havia lugar adequado para guardar. Não podemos deixar isso acontecer, depois de tanta luta e dedicação, entregar o nosso ouro, nossa história para outro estado?”, alertou.

O presidente do CEC/RR, Sebastião Moura, disse que o momento é de agregar parcerias e trazer à tona soluções para os gargalos. “Estamos aqui para fazer nosso papel, não apenas para dar pareceres nos projetos culturais. Não trabalhamos para empatar a secretaria, mas agir e recomendar o trabalho dentro da lei. É importante lançar os editais para captar recurso da lei de Incentivo à cultura sempre no início do ano, assim contribuir com nossos artistas e contribuir com o fortalecimento. Além do poder de determinação e queremos um novo caminho para a produção cultural”, disse Moura.

 

Membros do Conselho Estadual de Cultura (CEC/RR)

Publicado em Notícias

(Foto: Fernando Oliveira - Secom/RR): 2ª princesa Aliny Schluckot (Mucajaí); Rainha Agroshow 2019, Márcia Daliane Rodrigues (Iracema); e a 1ª princesa, Fabiana Cardoso (Alto Alegre)

 

 

Sete beldades representando os municípios de Roraima tornaram mais alegre a abertura do Agroshow, nesta quarta (4), no Parque de Exposição Dadãezinho. As meninas capricharam no visual e elegância. Às 21h elas começaram o desfile pela disputa ao título de Rainha do Evento.

 

Após o desfile os jurados tiveram trabalho para eleger a musa mais bonita. Mas quem conquistou a maior nota da bancada foi a linda Márcia Daliane Rodrigues, 22 anos, representando o município de Iracema, mostrou toda a beleza roraimense. A nova rainha vai reinar até o próximo evento em 2020. Em segundo lugar, a jovem Fabiana Cardoso, 21 anos, representando o município de Alto Alegre recebeu o título de 1ª princesa. Em terceiro lugar, Aliny Schluckot, 21 anos, representando o município de Mucajaí, recebe o título de 2ª princesa do evento.

 

O corpo de jurados composto pela gestora de companhia de Teatro Criart, Kaline Barroro, Aurilene de Castro Martins, Leâniva Tatayra e a cantora Dithania Lima, avaliou a beleza, simpatia, desenvoltura e passarela das candidatas.

“Foi bem difícil porque elas todas são lindas e vieram pata concorrer mesmo, com toda a produção de um concurso. Feliz por participar da escolha das beldades de um evento que vai ficar no calendário do Estado”, disse a produtora cultural Kaline.

(Foto: Fernando Oliveira - Secom/RR): O secretário de Cultura, Marksjohnson Ferreira; a secretária adjunta, Dianiery Coelho (segunda da esquerda); a secretária do Trabalho e Bem-Estar Social, Tânia Soares (ponta direita), com as escolhidas.

 

O secretário de Cultura, Marksjohnson Ferreira, falou da missão que foi dada à Secretaria de Cultura (Secult), nas escolhas e programação cultural.

“Fizemos uma programação bem diversificada, começando pela seleção das moças e a produção que culminou no resultado. Além disso, a Secult convocou grupos folclóricos e apresentações musicais para os quatro dias de evento, com cantores, quadrilhas e grupos de toadas. A Biblioteca Pública está com estande – a Gibiteca – para incentivar a leitura infantil nos dias de festa. Vamos repetir parte do brilhantismo dos artistas do Estado feito no Arraial no Agroshow”, ressaltou Ferreira.

 

Programação – 05/09/19

18h00 – Roda de Capoeira da Rede Atenção Especial – Mestre Caimbé

18h20 - Quadrilha Infantil Xameguinho - Projeto Abrindo Caminhos

21h30 – Trio Corda com Corda

 

Programação – 06/09/19

18h00 às 22:00 – Gibiteca – Leitura de Gibis

19h00 – Brincadeiras infantis, Pintura Facial, Trilha Lúdica e Boliche

 

 

Publicado em Notícias