Terça, 17 Setembro 2019 20:15

Sessão solene na ALE trata do suicídio

O secretário de Cultura Marksjohnson Castro Ferreira participou da mesa de debates representado o governador Antônio Denarium. 

 

Dois depoimentos chamaram atenção durante sessão especial voltada à valorização da vida e a prevenção do suicídio, realizada nesta terça-feira (17), na Assembleia Legislativa de Roraima. Enquanto a estudante Jhenne Morais contou sobre como superou a depressão, a técnica em enfermagem, Diane Ferreira relatou a dor dos familiares de quem tirou a própria vida. A solenidade reuniu autoridades e palestrantes que abordaram temas como os sinais de alertas e como as redes sociais podem ter relação com a saúde mental.

O secretário de Cultura, Marksjohnson Castro Ferreira, participou da mesa de debates representado o governador Antônio Denarium. Ele falou sobre a própria história de vida e exemplificou como o jovem pode buscar outras ferramentas para sair da depressão e seguir com a vida.

“Sou exemplo vivo de que tudo pode ser diferente quando lutamos, temos apoio de pessoas e não ouvimos frases do tipo: você não consegue. Vim de uma família humilde e graças a Deus tive oportunidades e venci. O mau do suicídio pode ser vencido também com a cultura, arte, cinema, teatro e esporte. Essas armas podem salvar a vida de muitos jovens. Roraima revela números assustadores de suicídios e é nossa obrigação contribuir para mitigar ou acabar com esses números terríveis”, disse.

O evento foi requerido pela deputada Ione Pedroso (SD), e realizado em parceria com os deputados Catarina Guerra (SD) e Evangelista Siqueira (PT), que também lutam pela causa na Casa Legislativa.

 

Membros da mesa e palestrantes receberam uma rosa amarela em nome da vida 

 

Sinais de Alerta

O psicólogo Wagner Costa palestrou sobre como identificar os sinais dados em casos de possíveis suicídios. Ele apontou que as pessoas tendem a transparecer a exaustão mental. Segundo ele, muitas pessoas buscam no suicídio a solução para o sofrimento. Por isso, é importante prevenir, oferecendo soluções e ajuda para a pessoa enfrentar o problema apresentado.  

 

Redes sociais

Na ocasião, o presidente da Comissão de Direito Médico da OAB/RR (Ordem dos Advogados do Brasil), Michel Nóbrega, trouxe informações sobre como as mídias sociais influenciam na saúde mental dos internautas. “Este também é um campo de enfrentamento, pois cria a falsa sensação de felicidade, e as pessoas veem aquilo como uma regra da realidade.”

Ao levantar a questão, ele pontuou que esse campo merece ser alvo de políticas de enfrentamento, como por exemplo, a difusão de informações positivas que se sobressaiam às negativas. O advogado frisou ainda a importância da denúncia em casos de postagens que, de alguma maneira, incentivem ou induzam ao suicídio.