Quarta, 11 Setembro 2019 16:28

Conselho debate panorama da cultura com Secretário da pasta  

 

 

 Presidente do CEC, Sebastião Moura; o secretário da Cultura, Maksjonhson Ferreira; e a secretária adjunta da Cultura, Dianiery Souza Coelho. 

 

 

Entre as demandas estão o edital de incentivo à cultura, destino do Museu integrado, captação de recursos e projetos para recuperação de espaços público.

 

Na sessão do Conselho Estadual de Cultura (CEC/RR), nesta quarta-feira (11/09), às 9h, no Palácio da Cultura, o secretário de cultura, Marksjohnson Ferreira, falou aos conselheiros sobre a nova gestão e os projetos futuros para a secretaria. Na pauta as modificações que pretende fazer para otimizar de imediato alguns setores da Secretaria Estadual de Cultura (Secult) que precisam ser vistos com urgência. Exemplo disso é o funcionamento do Museu Integrado de Roraima, os projetos culturais que estavam esquecidos, a reativação de espaços e a manutenção da cultura material e imaterial.

 

“Precisamos reaproximar a sociedade da secretaria. Depois de alguns levantamentos constatamos que até dinheiro importante à Cultura e aos projetos, cerca de R$ 1 milhão, foi devolvido na gestão anterior por falta de execução. Precisamos resgatar os projetos deixados no esquecimento e buscarmos outros que precisam de recursos para serem realizados e, para isso, vamos trabalhar junto com o CEC e o Grupo técnico que aprova os projetos”, disse o secretário.

 

A Secult tratou de mapear alguns dos principais festivais do Estado, inscreveu três projetos de cada área em captação de recursos federal, como por exemplo, Arraial do Anauá, Festival das Araras e o Festival Folclórico de Caracaraí dos últimos três anos subsequentes.

 

“A ideia é criar a agenda positiva da secretaria, como exemplo o calendário oficial. Trabalhamos por uma gestão otimizada e o que queremos é promover isso em tudo que fizermos, repetir a economia que buscamos no Arraial do Anauá onde conseguimos economizar cerca de 82% dos valores investidos com a ajuda da inciativa privada”, defendeu.

 

 Conselheira Elena Fioretti expondo a realidade da cultura de Roraima

 

A conselheira estadual de cultura, Elena Fioretti, pediu a palavra e fez o panorama da cultura no Estado. A conselheira apelou ao secretário de cultura. “Temos muitos problemas para resolver ainda. O museu precisa voltar para a cultura, o herbário precisa ser remanejado para um lugar que possa ter o devido tratamento. Tivemos notícias que recentemente o material da arqueologia que ficava no museu ia ser doado para outro Estado porque não havia lugar adequado para guardar. Não podemos deixar isso acontecer, depois de tanta luta e dedicação, entregar o nosso ouro, nossa história para outro estado?”, alertou.

O presidente do CEC/RR, Sebastião Moura, disse que o momento é de agregar parcerias e trazer à tona soluções para os gargalos. “Estamos aqui para fazer nosso papel, não apenas para dar pareceres nos projetos culturais. Não trabalhamos para empatar a secretaria, mas agir e recomendar o trabalho dentro da lei. É importante lançar os editais para captar recurso da lei de Incentivo à cultura sempre no início do ano, assim contribuir com nossos artistas e contribuir com o fortalecimento. Além do poder de determinação e queremos um novo caminho para a produção cultural”, disse Moura.

 

Membros do Conselho Estadual de Cultura (CEC/RR)